jusbrasil.com.br
10 de Dezembro de 2016
    Adicione tópicos

    Veja se você escapou da malha fina do IR

    DECLARAÇÃO AINDA EM PROCESSAMENTO DEVE SER LIBERADA NOS PRÓXIMOS LOTES. SAIBA COMO CONFERIR NO SITE DA RECEITA

    Se a declaração de Imposto de Renda estiver em processamento na base de dados da Receita Federal, ela não deverá estar incluída na malha fina, e o contribuinte poderá receber a restituição nos próximos lotes neste ano.

    Quem garante é o supervisor nacional do Imposto de Renda, Joaquim Adir. "Se o contribuinte consultar o extrato de sua declaração e aparecer a mensagem de que ela está processada, é sinal de que a restituição será liberada. E, mesmo que a declaração esteja em processamento, o contribuinte pode ter certeza de que não foi para a malha."

    Mas, para que isso ocorra é preciso que a declaração tenha sido enviada nos primeiros dias do prazo de entrega- no início de março- e que não haja qualquer pendência que possa retê-la na malha.

    Para saber qual é a situação da declaração e ter certeza de que ficou longe do Leão, o contribuinte pode consultar seu extrato pela internet, por meio do site www.receita.fazenda.gov.br.

    Informando o número do CPF (Cadastro de Pessoas Físicas) e o do recibo de entrega da declaração, o contribuinte poderá encontrar as seguintes situações. Se aparecer a informação "Recepcionada", quer dizer que a declaração foi entregue e está na base de dados da Receita, mas ainda não foi processada.

    "Recepcionada Correios" significa que o documento foi entregue nos Correios e está sendo encaminhado à Receita. Se estiver "Em Processamento ou Processada", o contribuinte pode ficar tranqüilo porque sua declaração não foi parar na malha.

    Mas, caso apareça a mensagem "Com Pendência", a declaração certamente apresentou algum erro. Nesse caso, o contribuinte deverá clicar em "Com Pendência" para saber qual informação está incorreta e, depois, enviar uma retificadora pelo site da Receita.

    Se a declaração foi substituída integralmente por outra, aparecerá a mensagem "Retificada". Quando a consulta informar "Em Análise", significa que a declaração foi recebida e se encontra na base de dados da Receita.

    Desde ontem, a consulta ao primeiro lote de restituição, que deverá ser pago no próximo dia 16, está liberada. Neste ano, terão a grana na mão, 1,3 milhão de contribuintes, sendo que 1.063.344 são idosos com mais de 60 anos.

    O restante das restituições será pago aos contribuintes com menos de 60 anos que enviaram a declaração no início do período de entrega, nos primeiros dias de março.

    Nesta primeira etapa da restituição, a Receita informou que vai liberar R$ 1,7 bilhão. Com isso, o valor médio das restituições dos contribuintes será de R$ 1.262,62. No ano passado, o montante de restituições liberado foi menor.

    No primeiro lote de 2007, havia 933 mil restituições, de acordo com a Receita, no valor de R$ 1 bilhão. (Anay Cury)

    Fonte: Agora em 10-06-2008.

    Esta notícia foi visualizada 195 vezes

    Disponível em: http://jf-ms.jusbrasil.com.br/noticias/134068/veja-se-voce-escapou-da-malha-fina-do-ir

    2 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

    Eu entendi que, enquanto estiver em processamento, como não há nada que impeça, a restituição poderá ser liberada, mas assim que este "processamento" for finalizado, pode ser que haja a necessidade de apresentar documentos e que este valor de restituição seja alterado, resultando num "valor a devolver" ou "compensar". Porque não há sentido estar com situação "em processamento" se nada estiver pendente de ser analisado.

    Eu, por exemplo, estou com minha declaração "em processamento" desde dia 13/04/2016, hoje já é 28/07/2016, mas tudo o que posso fazer é esperar ou há outra ação qualquer que eu poderia tomar? continuar lendo

    Muito boa esta informação.

    Quem está na fase de "em processamento" praticamente terá a restituição.

    Verifiquei nos sites outras informações (até de contadores) e não foram objetivos.

    Deixaram a desejar a informação. Alegavam que estariam na malha fina se o contribuinte estivesse nesta situação. continuar lendo